Quem sou eu

Minha foto
Treinador de Futsal, Graduado em Educação Física - UFMG, Especialista em Futsal e MBA em Gestão de Pessoas

quarta-feira, 21 de março de 2012

O que ´´Damásio´´ tem a ver com o esporte??

 

Nos dias de hoje,  a aquisição de conhecimento, seja tático, seja de gestão é muito mais fácil que antigamente. Com a internet e a evolução dos meios de comunicação a informação é disseminada com uma velocidade absurda. Exemplo disso, é que os aspectos táticos do jogos de futsal estão espalhados por todo mundo (revistas, artigos e nas próprias transmissões de tv). É difícil você não perceber algo de novo no jogo, algo que alguém criou e logo todos estão utilizando (e se é bom tem que copiar mesmo!!! Quando me refiro a ´´copiar´´, quero dizer utilizar aquele principio, adequando ao seu modelo de jogo), seja um movimento de ataque, uma organização de goleiro-linha ou até mesmo uma jogada ensaiada.

Mas preocupa-se muito com as novidades táticas e se esquece de buscar informações em como ensinar esses aspectos novos,  em como o atleta processa a nova informação e como ele representa aquilo mentalmente no seu cérebro.

Mas como assim?? Isso faz diferença??? E como faz!!!!!!!!!!

É comum, os treinadores tentarem passar as informações que estudaram para a sua equipe. Naquele momento tudo é muito bem explicado e compreendido, mas na hora de executar….um desastre!!! Será que você os condicionou a solucionar aquele problema, será que quando o atleta buscou resolver aquela situação ela estava na memória para ser recuperada e executada????

Essas são perguntas que deveriam aparecer nas sessões de treino quando algo não sai como esperamos, ou seja, quando a resposta do atleta não condiz com a necessidade daquele momento.

O conceituado  neurocientista português Antônio Damásio publicou alguns estudos afirmando que um aspecto importante relacionada a aprendizagem é a EMOÇÂO, essa palavra aqui descreve o processo do organismo experimentar, sentir, a transformar a ação em imagem mental, tornando-a consciente e transformando em sentimento. Esse processo é fundamental e vai influenciar diretamente as aprendizagens, as tomadas de decisões, nas busca de soluções na memória de determinado problema.

Damásio (2003) ao estudar vários casos de doenças neurológicas proferiu que alguns doentes incapazes de sentir certos sentimentos, eram também incapazes de exprimir as emoções que lhes correspondiam. Isso demonstra que a emoção precede o sentimento, dessa forma, quando algo for lembrado, será resgatado a emoção daquele ação.

De acordo com Oliveira (2006), citando Damásio (1994) num jogo de futebol, cheio de incertezas, o conhecimento somente teórico não é suficiente, sendo fundamental tomar uma decisão, que resultará num resultado positivo ou negativo e que será registrada no nosso corpo pelos ´´marcadores somáticos´´. Oliveira (2006)  refere que esses ´´marcadores somáticos´´ , pela aprendizagem e vivenciarão de experiências são associadas às  suas consequências o que condicionará as futuras tomadas de decisão em cenários semelhantes.

A medida que as decisões forem tomadas, e que as emoções dos resultados dessas estão sendo processadas as imagens mentais estão sendo elaboradas. Essas imagens são criações produzidas pelo cérebro pela interação do organismo com o mundo. Contudo, elas não são criações reais da realidade, mas representações PESSOAIS dessa realidade. E quando for necessário serão resgatadas na memória para solucionar aquele problema que surgiu.

Mas como no esporte tudo é muito dinâmico, todo esse processamento tem que ser muito rápido, o que fica claro que não pode ser realizado racionalmente.

E ai?? Ainda acha que o Sr. Damásio não tem nada a ver com o esporte????

 

Mourinho: A descoberta guiada, (2010). Luís Lourenço

Oliveira , B et al. (2006) Mourinho: Porquê tantas vitórias?

domingo, 4 de março de 2012

A ´´Descoberta guiada´´– mais que uma metodologia, uma forma de liderar!

 

´´Em vez de lhes dizer nós vamos para ali, quero que sejam eles a descobrir esse caminho´´

                                                                                   (Gomes, 2006)

Guilherme Oliveira (2004) refere que só podemos tratar a Especificidade como Específica se houver uma constante relação entre todas as dimensões e os exercícios propostos, em correlação permanente com o Modelo de Jogo. Ela não deve estar, apenas relacionada com a modalidade, mas estar ligada a singularidade da equipe, e estar presente na criação, na organização, na GESTÃO e na operacionalização do processo.

Para entender esse conceito de Especificidade e como alcança-ló no treino, não basta os exercícios propostos serem potencialmente específico, é necessário uma intervenção não só ATIVA, mas INTERATIVA do treinador com o exercício e com os JOGADORES, para que tudo aconteça.

Levando em consideração a ESPECIFICIDADE (essa palavra é tão importante, que não para de aparecer) do que se pretende ensinar e o contexto a que se destina, é fundamental que a gestão do processo seja singular, e é o que a literatura vem chamando de ´´Descoberta Guiada´´.

Ou seja, os jogadores descobrem segundo pistas, a elaboração das situações de treino leva a um determinado caminho. Os jogadores percebem isso, e as discussões (aqui no sentido produtivo da palavra) começam a aparecer, e todos juntos chegam a uma conclusão.

Mas ai, você vai me dizer,que não tem-se tempo para mostrar pistas, guia-lós, etc.

É muito mais fácil MECANIZAR as respostas que desejo!!!

Certo????

ERRADO!!!!!!!

Os automatismos vão sim, diminuir o tempo de aprendizado, mas não respeitarão a lógica interna do jogo de futsal. Além do que como diria os grandes treinadores: ´´Eu não estou jogando vídeo-game e nem combinei nada com o adversário.´´ É preciso fazer a EQUIPE pensar o jogo!!!! E pensar de forma COLETIVA!!!

Em primeiro lugar, a descoberta guiada constitui-se num fator importante, fundamental, nas organizações, pois ela estimula a eficiência MENTAL. Ao discutir, questionar, experimentar, os atletas estarão sendo obrigados a pensar/sentir, e todo raciocínio é permitido, obrigando a eles evoluir por eles mesmos.

Além disso, descobrir por eles mesmos faz com que se envolvam mais, e isso, é o sonho de qualquer  LÍDER!!!!! A descoberta guiada gera esse envolvimento ao trazer as pessoas para o centro da discussão, ao faze-las participar do seu próprio futuro, ao descobrir um caminho que vai se percorrer em grupo, pois serão chamados para tomar as decisões e opinar sobre a forma mais eficaz de desempenhar a sua tarefa.

O paragrafo anterior é bem exemplificado por Luís Lourenço, descrevendo a maneira como Mourinho liderava no FC Porto.

´´ Os jogadores gostam de se sentir importantes. E quando não lhes dão importância, mais cedo ou mais tarde haverá problemas. Com Mourinho eles se sentiam importantes porque guia-los envolviam os atletas no processo, mas era um envolvimento global, desde os chamados craques aos garotos que tinham acabado de subir do júnior.´´

Esse tipo de metodologia possibilita ainda, um ambiente de confiança, sem a confiança dos seus jogadores, você não será reconhecido como líder e nem conseguirá extrair algo de extraordinário deles. Ao confiar no que estão executando, faço com que confiem em mim. Pois é fácil entender que quanto mais envolvido as pessoas estão num projeto, maior será a dedicação e consequentemente os resultados serão melhores…..

Mas  o fato de se construir tudo junto com sua equipe não isenta o TREINADOR da sua responsabilidade.

Para que tudo isso realmente aconteça, é importantíssimo PLANEJAR e RE-PLANEJAR os exercícios, os microciclos e a temporada e assumir as decisões tomadas sejam elas estratégicas ou táticas….pois você é o ´´LÍDER´´!!!!!

 

´´A descoberta consiste em ver o que todos viram e em pensar o que ninguém pensou´´

                                                                                                    (Lourenço, 2006)

 

A ´´ descoberta guiada´´ como processo de transmissão das idéias de jogo para a concretização do jogar. Monografia  de licenciatura. Universidade do Porto. 2006