Quem sou eu

Minha foto
Treinador de Futsal, Graduado em Educação Física - UFMG, Especialista em Futsal e MBA em Gestão de Pessoas

Entrevistas


Rodirgo Angelo Marques Coimbra (Zico)
clip_image002
Ano de nascimento: 13/04/76
Trajetória no futsal (equipes que jogou): Cruzeiro E.C., Olympico Club, A.A.Promove, Arsenal Texaco, Minas Tenis Clube, S.R. Filadélfia/Gov. Valadares, Manchester/Nova Serrana, Nova Serrana, Congonhas , Saraca Futsal, Kickers Charleroi/Bélgica, Chase Antwerpen/Bélgica, Action21 Charleroi/Bélgica, A&M Chatelineau/Bélgica, Seleção Brasileira Universitaria, Seleção Belga, Seleção Mineira
Cargo atual (atleta e treinador): atleta do A&M Chatelineau/Bélgica , treinador da Seleção Belga sub-21 e auxiliar da Seleção Belga principal.
Clube atual: A&M Chatelineau/Bélgica
staff

1)Você além de atleta de futsal tem uma formação superior em Educação física, como isso interferiu na sua carreira? (Percepção das metodologias de treino ,treinadores, liderança, etc). Isso te tornou mais crítico?
Por ter uma formação em Educação física, sempre dei muita importância em todos trabalhos propostos pelas diversas comissoes técnicas que tive o prazer de trabalhar. Antigamente (década de 90), o profissionalismo no futsal não era como hoje em dia , principalmente em Belo Horizonte e com a chegada de treinadores/técnicos de outros estados, começamos a ter novas experiências, como por exemplo, algumas atividades com psicólogos do esporte. Alguns colegas de equipe, riam e achavam aquilo sem importância, mas como eu já tinha estudado os benefícios destas atividades,sempre levei a sério. Hoje em dia procuro sempre estar trocando ideias com meus treinadores no clube aproveitando o que aprendi na faculdade e também no que acredito que possa ajudar.

2)Você jogou em clubes no Brasil e há algum tempo está no exterior. Qual a principal diferença, na sua opinião, para o futsal brasileiro e o praticado fora do País? (Se é que existe alguma diferença)
Estou fora do Brasil há 11 anos e pelo que tenho acompanhado o futsal mudou muito da epóca em que eu jogava ai. Hoje em dia ele está muito mais físico. A condição física está aparecendo muito mais que a condição técnica e tática. Cada país aqui na Europa tem uma característica de futsal. Aqui na Belgica, como todas as equipes são amadoras e treinam somente 2 vezes na semana ( tem equipes que só treinam 1 vez !!!), Você não vê quase nada de padrões/estrategias de jogo. Quase toda equipe tem 2/3 jogadores que tentam resolver sozinho através da sua técnica. Eu sou apreciador do futsal espanhol. Em todos os jogos da liga espanhola, você consegue aprender algo, principalmente nas estratégias de bola parada.

3)Além da modalidade em si, quais as diferenças nas equipes brasileiras e nas estrangeiras em termos de estrutura, e termos de metodologias de treino? (treinadores, etc)
Neste ponto, o Brasil está a milhões de anos na frente daqui da Bélgica. Jogamos em ginásios da prefeitura ou em ginásios de escolas da cidade. Temos poucas horas de quadra semanais ( 6hs contando com dias de jogos!! ), das 13 equipes da primeira divisão somente 2 tem preparadores físicos, médicos e fisioterapeutas exclusivos dos clubes são raridades ( eles vão só aos jogos ). Infelizmente a maioria (se não todos ) dos ``treinadores/técnicos`` daqui exercem outra profissão durante o dia e a noite vão ``dar treinos``. Metodologia de treinos eu acho que nunca ouviram falar. Basicamente fazem um aquecimento (com e sem bola) e coletivo. Não sei como se passa em outros paises daqui, mas creio que levem mais a sério do que na Bélgica. Quanto a estrutura, já ouvi falar muito bem sobre as equipes espanholas e algumas italianas, russas e portugueses. Mas acho que só os grandes clubes destes países é que tem uma estrutura como as dos clubes no Brasil.

4) Há algum tempo você além de jogador , vem exercendo a função de treinador da Seleção Belga sub-21. Qual foi a sua maior dificuldade para conciliar as duas funções?
Graças a DEUS está indo tudo bem, pois os jogadores já me conheciam como jogador . Já na Seleção principal como auxiliar, foi um pouco mais difícil. Demorou um tempo para os atletas diferenciarem o Zico adversário, o Zico colega de equipe e o Zico treinador.

5)Como você vem se preparando para essa transição de estar na quadra obedecendo instrunções e agora também passando orientações?
Esta transição está ocorrendo progressivamente. Acho que está bem tranquila e estou gostando muito. Como sou um apaixonado pelo futsal, sempre me preparei ( e continuo me preparando ) para estar passando orientação fora de quadra. Sempre fui líder nas equipes que atuei e acho que isso ma ajudou muito na função de treinador.

6) Além disso, já estar no futsal belga te ajudou na estruturação da seleção que hoje você comanda?
Com certeza, pois eu passei por muitas experiências enquanto jogador, boas e ruins. Nesta época de jogador, via muitos comportamentos e atitudes que eu acredito que não condiziam para uma Seleção. Então quando entrei na comissão técnica juntamente com meus colegas, propomos as mudanças e a direção foi muito receptiva. Temos que melhorar muito ainda, mas estamos no caminho certo.

7) Na visão de atleta-treinador hoje, como você definiria um ´´ bom treino de futsal´´?
Um bom treino na minha opinião seria aquele que em 100% das atividades tivesse bola. Mesmo quando a prioridade é a parte física.
8)Existe alguma parte do jogo que você prioriza nos seus treinamentos, que você acredita fazer maior diferença no jogo de futsal?
Acredito em contra ataques bem realizados e estratégias de bola parada (corners, laterais e faltas ) eficientes. Mas para se ter contra ataques, você precisa ter uma marcação eficiente. Tudo está ligado no futsal e por isso acho difícil priorizar uma ou outra coisa nos treinamentos.
9)Você teve diversos treinadores e atuou ao lado de vários jogadores, existe alguém em especial que tenha contribuído para a sua formação profissional?
Tento aprender com tudo o que vejo e com todos com quem converso. Pode parecer estranho, mas nas eliminatórias para a Copa do Mundo em dezembro (Bosnia), tive a chance de conversar por 45 minutos com o treinador da Seleção Espanhola ( Venancio ) e neste pouco tempo, aprendi muitas coisas interessantes. Cada treinador que trabalhei contribuiu com algo ( uns muito, outros menos). Sou grato a todos eles .
10)Quais são os seus planos para o futuro, pensa em continuar se dedicando ao futsal como treinador?
A Bélgica foi confirmada como sede das finais da EURO 2014 e até lá espero estar na comissão das Seleções Belgas principal e sub-21. Depois veremos, mas com certeza pretendo continuar jogando e me dedicando como treinador também.
_Paris

Entrevistas



Rafael Bianchini
bianchinijpg
Ano de nascimento: 13/05/1982
Anos de prática: 17 anos de futsal
Principais campeonatos disputados: Liga Futsal, Taça Brasil, Superliga,Copa Rio-SP-Minas ,Liga Sudeste, Campeonato Brasileiro de Seleções, Sul Americano de Clubes, Campeonato Mineiro.

Principais títulos:11 vezes campeão mineiro (00,01,02,04,05,06,07,08,09,10,11)
11 vezes campeão metropolitano (00,01,02,04,05,06,07,08,09,00,11)
12 vezes goleiro menos vazado do camp Mineiro e Metropolitano
Melhor goleiro do sul americano de futsal (2003)
Campeão da Taça Brasil de clubes adulto (2002)
Bi Campeão da Copa Rio-SP-Minas ( 2001,2004)
Bi Campeão da Liga Sudeste (2009,2010)
Campeão Brasileiro de Seleções Juvenil (2000)
revelar1

1)Qual foi sua trajetória esportiva até a prática do futsal? Até o momento em que me dediquei exclusivamente ao futsal (1999) me dividia entre o futebol de
campo e o futsal, atuando na linha em campeonatos escolares e no gol em campeonatos de clubes federados.

2)Em que momento da sua vida você escolheu se tornar goleiro? E qual foi a reação das pessoas próximas a você, principalmente a família? Sempre me destaquei tanto na linha quanto no gol no começo da minha carreira, porém ,debaixo das traves tive uma evolução muito rápida e comecei a fazer uma grande diferença nos jogos, desequilibrando partidas e treinos. Como na época havia a possibilidade de aliar estas duas qualidades fui me dedicando mais à posição de goleiro. No momento que optei somente por ela, meu pai, meu maior incentivador, foi totalmente contra por acreditar muito em meu potencial com os pés.

3)Em quais atletas você se inspirou, e qual o melhor goleiro que você trabalhou junto? Por estar sempre muito ligado ao esporte posso dizer que me espelhei em vários atletas de diferentes esportes durante minha formação. Posso citar Ayrton Senna, Michael Jordan, Mike Tyson , Oscar Schmidt.Mais recentemente, Michael Schumacher, Fernando Alonso, Roger Federer, Michael Phelps, Usain Bolt e Jon Jones(UFC). Em relação aos goleiros, gostava muito do Taffarel e Schmeichel e, desde o início de sua carreira ( na minha opinião o melhor de todos os tempos), Gianluigi Buffon. Olhando para o futsal , tive a oportunidade de trabalhar com grandes profissionais, de estilos diferentes, sempre buscando aprender algo novo, independente da idade ou nome.Sempre tem algo que podemos acrescentar e evoluir observando outros goleiros. Sem dúvida, o Serginho foi uma grande inspiração e um incentivo para dar continuidade à minha carreira e meu estilo .

4)Os goleiros, pela posição que ocupam (visão da quadra inteira), geralmente aguçam sua percepção ao jogo e as metodologias usadas pelos treinadores. Na sua opinião, o que seria um bom treino de futsal? Entendo que um treino que trabalhe a percepção e leitura do jogo dos atletas somado a uma dinâmica eficiente seria a melhor opção. A evolução do atleta tem que ser diária e isso acontece com os trabalhos diários e intensos.

5)Você foi treinado por grandes treinadores, como Miltinho, Perdigão, Paulinho Cardoso, entre outros, o que você vê em comum entre eles e vê algum grande diferencial em cada um? Tive em minha carreira a oportunidade e o privilégio de trabalhar com grandes profissionais que tiveram contribuição determinante para minha consolidação na posição. Os três citados estão entre os melhores do país e falo com orgulho deles, pois devo aos mesmos,o sucesso que alcancei nestes anos. É importante lembrar do Faissal Saab também que tem uma grande parcela em minha trajetória. Em comum entre os três treinadores citados acima, penso que a dedicação ao trabalho no dia a dia, treinamentos elaborados e a confiança no sistema que defendem. São vitoriosos, experientes e motivadores. A diferença mais marcante imagino que seja no sistema de defesa e uma ênfase maior ou não em jogadas de bola parada .

6) Em relação aos estilos de liderança dos treinadores, qual é aquele que você se adapta melhor e qual acredita que possa levar a um melhor desempenho da equipe?Eu particularmente gosto dos que cobram mais e que tenham alguma vivência maior com os jogadores, que escute e aceite sugestões . É importante para o jogador sentir que o treinador confia em sua equipe e que está junto dela em todos os momentos, seja de vitórias ou derrotas.

7) Você está há alguns anos como goleiro da Equipe V&M Minas, e na última temporada foi o capitão da equipe, como é ser referência para os garotos que estão ao seu lado no time? Tento passar um bom exemplo no dia a dia de treinamento e na postura fora de quadra. Sei que exerço um papel importante dentro da equipe e tento ser uma extensão do treinador dentro de quadra, aprendendo com os demais jogadores e com a experiência de anos neste esporte. O respeito que conquistei com as pessoas que trabalhei em todos estes anos de futsal com certeza é minha maior conquista neste esporte.

8)A evolução da modalidade exigiu mudanças nas características dos goleiros, seja em relação a técnica adotada, seja atuando taticamente, o que você percebeu dessas mudanças durante seus anos de goleiro de futsal? Hoje ,por uma série de fatores,o esporte tornou-se mais dinâmico e o papel do goleiro ganhou ainda mais importância. Hoje é necessário que o goleiro participe ativamente da partida com coberturas, reposições rápidas , orientando e organizando sua equipe , além do trabalho com os pés e o principal que sempre vai ser o diferencial debaixo das traves. Com toda esta evolução, é mais que obrigatório o trabalho diário a parte com o treinador de goleiro para que se trabalhe e condicione a todas estas situações.

9) Todo grande jogador de futebol possui um ´´ritual´´ que realiza antes ou após as partidas, apesar de ser muito experiente, você ainda possui alguma ´´mania´´ que sempre executa? Tento me resguardar de qualquer atividade ou tarefa que possa me tirar a atenção e o foco da partida durante o dia . Procuro descansar o máximo e me alimentar corretamente. Quanto a alguma mania, não vejo nada que possa destacar, mas gosto que as coisas sigam um padrão normal e rotineiro no momento pré jogo.Procuro chegar antecipadamente ao vestiário, fico mais reservado concentrando na partida , faço o alongamento ainda nele pra ter um tempo suficiente para começar o aquecimento dentro de quadra.

10) Todos nós sabemos que a vida de atleta é passageira, o que você acha que pode fazer diferença para você no seu futuro por ter sido atleta de alto rendimento por anos? Sem dúvida alguma a capacidade de lidar com pessoas diferentes,trabalhar em equipe e com a pressão diária que é exercida em nosso esporte ,além da maneira de encarar com extrema dedicação e buscando sempre a excelência o dia a dia de trabalho.
DSC02649